A vitamina B12, cujo nome científico é cianocobalamina, foi isolada e identificada a partir de um extrato de fígado, em 1948. É indispensável, na espécie humana, para a proliferação dos glóbulos do sangue e para a manutenção da integridade das células nervosas. A vitamina B12 só existe no reino animal; os vegetarianos restritos (que não comem nenhum produto de origem animal), raríssimos no Brasil, desenvolvem a carência.
A deficiência comum é a que decorre da falta de absorção da vitamina, por uma doença auto-imune da mucosa do estômago – a gastrite atrófica – que, rara antes dos 40 anos, aumenta de freqüência com a idade, até tornar-se muito comum na velhice. A incidência é maior no sexo feminino, em pacientes com doenças da tireóide e com vitiligo. A falta de vitamina B12 causa anemia e alterações neurológicas, que são progressivas e mortais se não houver tratamento, donde o nome de anemia perniciosa dado à doença antes de sua notável e recente descoberta. Anos de absorção inadequada são necessários para o esgotamento das reservas de B12 do organismo, mas a partir daí, a anemização é rápida:

há glossite (língua vermelha e ardente)
surgem dormências,
depois falta de sensibilidade, nas extremidades, e, por fim,
deterioração mental irreversível.

O hemograma mostra que a anemia é macrocítica, isto é, caracterizada pela presença de eritrócitos (glóbulos vermelhos) maiores que o usual. A dosagem de vitamina B12 no soro sangüíneo é útil para o diagnóstico, que se completa pela notável resposta ao tratamento de reposição: dois ou três dias após a primeira injeção intramuscular de vitamina B12, o paciente sente-se eufórico, bem disposto e com apetite. A anemia cura-se em poucas semanas; os sintomas neurológicos de modo mais lento. Como a gastrite atrófica é uma doença definitiva, o tratamento com uma injeção mensal de B12 deve ser mantido por toda a vida.

A inclusão da dosagem de vitamina B12 na avaliação laboratorial de pacientes idosos tem permitido o diagnóstico da deficiência antes da aparição da anemia e dos sintomas acima; a reposição parenteral da vitamina causa, em alguns desses pacientes, significativa melhora das condições mentais. A ação da vitamina no organismo é muito ampla; a dosagem deve tornar-se um exame rotineiro em geriatria. Anemia da carência de ácido fólico O ácido fólico (nome científico ácido pteroilglutâmico) é uma vitamina do complexo B, abundante nas folhas verdes (donde o nome fólico), presente em pequena quantidade em muitos outros alimentos vegetais, e na totalidade dos alimentos de origem animal. A fervura prolongada dos alimentos destrói a vitamina. A deficiência de ácido fólico, no organismo, geralmente ocorre quando há uma dieta carente, por precariedade de condições sócioeconômicas, associada a excesso de demanda.

No Brasil é comum, em: Crianças em idade de máximo crescimento (1 a 3 anos): o crescimento exige ácido fólico. Gestantes: o crescimento fetal consome ácido fólico materno. Alcoolistas: alimentam-se apenas das calorias vazias do álcool e desenvolvem múltiplas deficiências; a de ácido fólico é potencializada porque o álcool age como seu antagonista no metabolismo. Pacientes com doenças inflamatórias crônicas do trato digestivo que ocasionam má absorção de ácido fólico são raras. A interação do ácido fólico com a vitamina B12 é indispensável para a proliferação dos glóbulos do sangue. A falta de ácido fólico causa uma anemia macrocítica idêntica a da falta de B12, mas não causa doença neurológica. Os pacientes perdem o apetite, o que faz piorar a dieta, por hipótese, já carente; há rápido emagrecimento. O tratamento com ácido fólico por via oral causa imediata melhora clínica; o paciente desenvolve um apetite voraz que corrige espontaneamente a dieta. Só há recaída em casos de extrema pobreza ou de alcoolismo persistente.

Benefícios para Saúde:

A vitamina B12 é uma vitamina solúvel em água necessária para a atividade normal da célula nervosa, replicação do DNA e produção de uma substância que afeta o humor chamada SAMe (S-adenosil-L-metionina).

A vitamina B12 age com a vitamina B6 e o ácido fólico para controlar os níveis de hemocisteína. O excesso de hemocisteína é associado a um aumento de risco de doenças cardíacas, derrame, e potencialmente outras doenças como osteoporose e doença de Alzheimer.

Um pequeno estudo duplo-cego reportou que mesmo algumas pessoas que não são deficientes desta vitamina tiveram um aumento de energia após tomarem injeções de vitamia B12, comparadas com os efeitos das injeções de placebo.[1]

A vitamina B12 também ajuda na formação da hemoglobina (as quais protegem contra anemia) e na manutenção da bainha de mielina, uma substância que cobre os nervos e permite que eles funcionem bem. O corpo também precisa desta vitamina para replicação celular, metabolismo de energia, e para criar o material genético nas células conhecido como DNA e RNA.

A vitamina B12 também é conhecida por estar associada a tratamentos contra a depressão, rosácea, zumbido de ouvido e vários outros problemas neurológicos.

Performance:

O aumento de energia decorrente da suplementação com vitamina B12 em pessoas sem deficiência ainda é questionável, porém não existe dúvidas que a deficiência desta vitamina causa perda de performance e energia. Mesmo que a deficiência não seja comum em pessoas saudáveis normais, o corpo de um esportista ou malhador tem necessidades extras devido aos exercícios intensos e mudanças nos hábitos alimentares, assim não podendo ser comparado com a média das pessoas saudáveis normais.

Mesmo que a vitamina B12 possa ser encontrada como suplemento isoladamente, normalmente um atleta consegue quantidades suficientes de vitamina B12 com a suplementação com complexo B. A suplementação com um complexo B de qualidade pode ser encarada por pessoas ativas como uma garantia de que ótimos níveis estão sendo mantidos.

Esportistas e malhadores suplementam com vitamina B12 procurando normalmente os seguintes benefícios:

* Ajuda na produção de energia através da ajuda no uso das proteínas, carboidratos e gordura
* Ajuda na formação das células vermelhas do sangue
* Ajuda a manter o sistema nervoso funcionando bem

Deficiências e Necessidades:

A deficiência de vitamina B12 pode causar fadiga, confusão, perda de memória, fraqueza muscular e outros sintomas causados pelos danos nos nervos.

A vitamina B12 é a única vitamina B que o corpo armazena em quantidades substanciais. Além disso, a maioria das pessoas consegue consumir quantidades adequadas desta vitamina a partir da dieta. Porém, para o corpo absorver esta vitamina, ela tem que ser separada da proteína dos alimentos, o que envolve a participação de enzimas digestivas, ácido estomacal e o fator intrínseco. Assim a vitamina B12 será capaz de se juntar com o fator intrínseco e ser transportada até o jejuno (intestino pequeno), onde será absorvida.

Algumas pessoas não são capazes de produzir quantidades suficientes de fator intrínseco ou ácido estomacal a medida que vão envelhecendo, o que favorece ao surgimento da deficiência. Alguns especialistas estimam que cerca de 20% das pessoas mais velhas são deficientes de vitamina B12 mas não sabem. Alguns estudos sugerem que pessoas mais velhas podem se beneficiar com 10 a 25 mg por dia de vitamina B12. [2, 3, 4]

Vegetarianos, especialmente os que evitam também os produtos derivados do leite e ovos, frequentemente se tornam deficientes, porém o processo é demorado. A deficiência de vitamina B12 também é mais comum em pessoas com problemas de absorção, normalmente associadas a condições como doença pancreática, cirurgia gastrointestinal e vários medicamentos prescritos.

Anemia perniciosa é uma condição auto-imune onde falta ao organismo fator intrínseco necessário para absorver a vitamina B12 dos alimentos. Pessoas com esta condição normalmente são tratadas com injeções de vitamina B12 ou suplementação oral com altos níveis de B12 (1000 mg por dia).

Um estudo preliminar reportou que 47% das pessoas com zumbido no ouvido e problemas relacionados tinham deficiência de vitamina B12 que poderiam ser ajudadas com a suplementação.Pessoas infectadas com HIV frequentemente apresentam níveis baixos de vitamina B12 no sangue.

Um número desproporcional de pessoas com desordens psiquiátricas são deficientes de B12. A deficiência significativa de vitamina B12 está associada a um grande aumento dos riscos de depressão severa.

Pessoas que bebem muita bebida alcoólica normalmente tem menores concentrações de B12 uma vez que o consumo em excesso de álcool impede a absorção do nutriente. Mesmo que as quantidades no sangue de B12 em alcoólatras sejam maiores, a reserva desta vitamina nos tecidos é normalmente deficiente.

A Vitamina B12 e a dieta vegetariana

Este é o único nutriente que talvez seja de difícil obtenção no caso dos veganos(as). Inúmeros estudos demonstram que vegetarianos têm níveis sanguíneos mais baixos de B12. Então, deve ser feita uma suplementação da vitamina em cápsulas (via oral) ou injetável.

Os não-vegetarianos não possuem dificuldades em obter a B12 já que os animais, uma de suas fontes de alimentação, ingerem microorganismos tais quais bactérias e fungos, produtores exclusivos da vitamina B12. É importante lembrar que o corpo humano já possui um certo suprimento da vitamina, mas a reposição da substância diariamente é altamente recomendável para quem deseja obter uma saúde bem regulada. Porém, se uma anemia ocorrer devido a falta de B12 no organismo, o recomendável para quem ingere carnes é fazer uso de bifes de fígado, onde são armazenados cerca de 50% ou mais dos estoques de B12 do animal. No caso de vegetarianos, suplementos de via oral ou injeções com grande dosagem da vitamina é a melhor opção para fazer a reposição da substância.

Doenças causadas pela deficiência
Anemia perniciosa – Lesão cerebral.

Fontes Naturais
Fígado, carne bovina e suína, ovo, leite, queijo, rim.

Recomendação Pessoal
Se você é vegetariano e exclui ovos e lacticínios da sua alimentação, necessita de suplementação de vitamina B12.

Associada ao ácido fólico, a vitamina B12 pode ser um revitalizador eficiente.

Grandes consumidores de proteínas também devem tomar doses extras desta vitamina, que funciona sinergicamente com quase todas as outras vitaminas B, da mesma forma que com as vitaminas A, E e C.

Para as mulheres, a vitamina B12 pode ser útil, como parte integrante do complexo B, um pouco antes e durante a menstruação.

Benefícios

* Forma e regenera células vermelhas do sangue, prevenindo a anemia.
* Promove o crescimento e estimula o apetite das crianças.
* Aumenta a energia.
* Mantém o sistema nervoso saudável.
* Utiliza adequadamente as gorduras, carboidratos e proteínas.
* Ameniza a irritabilidade.
* Aumenta a capacidade de concentração, memória e equilíbrio.

A cobalamina (ou cianocobalamina), também conhecida como vitamina B12, tem as seguintes funções no nosso organismo:

* Necessária à eritropoiese, e em parte do metabolismo dos aminoácidos e dos ácidos nucleicos;
* possui uma função indispensável na formação do sangue;
* necessária para uma boa manutenção do sistema nervoso.

Segundo a organização norte-americana Food and Nutrition Board, a dose diária de vitamina B12 necessária para o organismo é de 2,4 microgramas (mcg) para adultos, 1,2 mcg para crianças de até oito anos e 2,8 mcg para gestantes e mães que amamentam.

3 thoughts on “Entendendo a Vitamina B-12

  1. temho inflamação no estomago e não como carne vermelhga porque me faz mal. malho enao vejo resultado, não ganho massa . tenho uma alimentação restrita

  2. Amei este artigo sobre a vit B12,gostaria de receber artigos sobre a saude do idoso,pois estou trabalhando com uma equipe de idosos da igreja adventista ,acredito que vcs tenham muita coisa que pode me ajudar,desde ja muito obrigada.

    atenciosamente.
    Marluce Portela
    Diretora do departamento do idoso.

    • Oi Marluce, muito legal seu trabalho.

      Convido você à acompanhar nosso blog pelo facebook para receber as noticias e atualizações.

Deixe seu comentário